Estação de Tratamento de Efluentes

A DHEYTECNICA visando a crescente demanda do meio empresarial pelo Desenvolvimento Sustentável e a busca do crescimento econômico associado a preservação com adoção de práticas de produção mais limpa e a equidade social, desenvolve Soluções específicas para cada segmento industrial elaborando projetos e fornecendo equipamentos que auxiliam as indústrias na gestão e tratamento dos resíduos gerados no processo produtivo, que podem ser classificados como resíduos sólidos, emissões atmosféricas, efluentes sanitários e industriais.

Para determinação do projeto a ser implantado é necessário conhecer as principais características do processo industrial e caracterização do efluente gerado, obtido através de análise físico química. É de fundamental importância o conhecimento destas variáveis para que se obtenha a melhor eficiência de remoção de cargas no processo de tratamento.

O Tratamento de Efluentes Industriais é composto por etapas, dentre as quais destacamos: Sistema de Tratamento Primário, Secundário, Terciário, Reuso, Processamento de Lodos.

 

Tratamento primário

Caracteriza-se por processos físicos e químicos, o principal objetivo deste processo é a remoção de sólidos em suspensão sedimentáveis, materiais flutuantes e parte da matéria orgânica em suspensão. O processo de tratamento constitui-se basicamente por:

Peneiramento: o efluente bruto passa por uma peneira tipo hidrostática ou rotativa para remoção de partículas sólidas grosseiras, sólidos são destinados ao centro de processamento de lodo e o liquido destinado ao tanque de equalização.

Equalização/Homogeneização: O efluente é armazenado em um tanque com tempo de detenção  adequado a cada efluente, neste tanque o efluente é constantemente homogeneizado por um Misturador hiperbólico, cujo o objetivo é manter sólidos em suspensão e O&G dispersos no meio liquido.

Floculação Mecânica ou hidráulica: O efluente recebe dosagens de produtos químicos, que auxiliam para sua neutralização, coagulação e floculação, o processo pode ser mecânico ou hidráulico, o que definirá qual tipo deverá ser utilizado são as características do efluente.

Flotação por Ar Dissolvido - FDHT: projetados para realizar a remoção de Óleos e Graxas, Sólidos Suspensos e Cargas Orgânicas (DBO e DQO), o processo de remoção baseia no contato e na adesão de microbolhas de ar com as partículas do efluente, diminuindo sua densidade e desta forma promovendo a ida da mesma para superfície líquida do tanque, onde, de forma física, os sólidos são removidos por raspadores e descarregados em um câmara de descarga de lodo, e destinado ao centro de processamento de lodo. O liquido clarificado é destinado ao Sistema de tratamento Secundário.

 

Tratamento Secundário

Caracteriza-se por processos bioquímicos aeróbios ou anaerobios, o principal objetivo deste processo é a degradação de matéria orgânica dissolvida e da matéria orgânica em suspensão que não foram removidas no tratamento primário. O processo de lodos ativados é um dos processos de tratamento mais utilizados nas indústrias, porém o uso dessa técnica de tratamento requer o controle da vazão, a recirculação dos microorganismos decantados, o fornecimento de oxigênio, entre outras coisas. Além disso, os fatores que mais podem afetar essa técnica são as temperaturas, a disponibilidade de nutrientes, o pH, a presença de elementos tóxicos e o fornecimento de oxigênio.

O processo de tratamento constitui-se basicamente por:

Lagoa de aeração / Reator: ocorre a introdução artificial do oxigênio requerido pelos organismos decompositores, e também possibilita a manutenção da massa líquida em total suspensão, e a consequente formação de flocos biológicos, para posterior separação na unidade seguinte de sedimentação. O sistema é composto basicamente por módulos de distribuição aéreos e submersos, linha de ar e Soprador de ar. Nos tanques de aeração, os microorganismos se alimentam da matéria orgânica e a convertem em gás carbônico, material celular e água. O efluente, quando sai do reator, possui pouca quantidade de matéria orgânica, com uma eficiência em torno de 95% dependendo da ETE. 

Decantação: no processo de decantação a massa biológica é separada do liquido, sendo que parte dos sólidos retorna ao tanque de aeração e a outra parte é destinada ao centro de processamento de lodo. Os decantadores são os responsáveis por separar os sólidos em suspensão no tanque de aeração, permitindo a saída de um efluente clarificado, e pela sedimentação dos sólidos em suspensão no fundo do decantador, possibilitando o retorno do lodo em concentração mais elevada. 

 

Tratamento Terciário

Pode ser aplicado de duas formas:

Polimento: o efluente é conduzido para lagoas de estabilização em série para remoção de cargas que não tenham sido removidas nos processos de tratamento anteriores, após o polimento final o efluente atinge a qualidade requerida pelos padrões de lançamento.

Reuso: o efluente passa pelo processo físico e químico (Floculação e Flotação) e flotação para remoção de cargas remanescentes e posterior filtração e cloração para remoção de organismos patogênicos. Após esta etapa o clarificado poderá ser utilizado para rega de jardins, lavagem de pisos e sanitários.

 

Procesamento de Lodo

Caracteriza-se pela remoção de umidade presente no lodo por meio de força centrifuga e secagem por meio de troca térmica direta ou indireta, o principal objetivo deste processo é redução do volume de lodo a destinado para aterro ou possibilidade da utilização como fonte de energia ou composto orgânico. O tipo de processo a ser utilizado varia de acordo com as características do lodo, este poderá ser separado em duas fases (solido e liquido) ou em três fases (solido, liquido e óleo).

O processamento de lodo constitui-se basicamente por:

  • Separação em duas fases

Floculação: para o processamento do lodo em duas fases adiciona-se polímero de carga oposta para que ocorra a formação de flocos consistentes, auxiliando no processo de separação, onde é possível obter uma massa mais seca e um clarificado com menos arraste.

Centrifugação: por meio de um Decanter centrifugo, a separação e clarificação ocorre pela atuação da força centrifuga gerada através da aceleração progressiva, a uma velocidade definida para cada aplicação, no tambor rotativo que pressiona os sólidos contra parede do tambor e é transferida para extremidade cônica do conjunto através do transportador helicoidal com velocidade diferencial que determina o tempo de permanência dos sólidos no interior do equipamento.

A descarga dos sólidos separados é realizada através de aberturas na extremidade cônica, onde os sólidos são ejetados para o duto de descarga.

Os líquidos clarificados escoam para a extremidade oposta aos sólidos na parte cilíndrica do tambor por onde saem através de placas as quais podem ser ajustadas. As placas permitem um ajuste preciso da lâmina de liquido no cilindro de acordo com a característica do produto a ser processado e a demanda de eficiência de clarificação.

 O Decanter Centrifugo DHT pode ser utilizado para separação e clarificação de fases de uma elevada gama de segmentos, sendo que cada aplicação demanda uma configuração diferenciada de acordo com o tipo de produto a ser processado, densidade, viscosidade, volume de sólidos, temperatura.

  •  Separação em três fases

Aquecimento: o lodo é aquecido a 98 graus em um tanque de aquecimento, cuja função é realizar o aquecimento de borra flotada através de injeção direta de vapor. Um sistema de aquecimento adequada proporciona maior eficiência na remoção das fases no processo de centrifugação.

Centrifugação: por meio de um Tridecanter centrifugo, a separação e clarificação ocorre pela atuação da força centrifuga gerada através da aceleração progressiva, a uma velocidade definida para cada aplicação, no tambor rotativo que pressiona os sólidos contra parede do tambor e é transferida para extremidade cônica do conjunto através do transportador helicoidal com velocidade diferencial que determina o tempo de permanência dos sólidos no interior do equipamento.

A descarga dos sólidos separados é realizada através de aberturas na extremidade cônica, onde os sólidos são ejetados para o duto de descarga.

O líquido clarificado escoa para a extremidade oposta aos sólidos na parte cilíndrica do tambor por onde saem através de placas as quais podem ser ajustadas. As placas permitem um ajuste preciso da lâmina de liquido no cilindro de acordo com a característica do produto a ser processado e a demanda de eficiência de clarificação.

A separação do óleo ocorre pela diferença de densidade, por ser a fase mais leve a mesma se concentra na extremidade central do cilindro.

 O Tridecanter Centrifugo DHT pode ser utilizado para separação e clarificação de fases de uma elevada gama de segmentos, sendo que cada aplicação demanda uma configuração diferenciada de acordo com o tipo de produto a ser processado, densidade, viscosidade, volume de sólidos, temperatura.

  •  Secagem térmica

Com o objetivo de redução de custos com transporte e a possibilidade da utilização deste material seco para queima ou como fertilizante, o Sistema de Secagem DHT proporciona, através do processo de troca térmica indireta, a redução de umidade presente no lodo, podendo obter-se teores de sólidos de 85% a 95%.

A eficiência do Sistema de Secagem e a destinação do lodo seco estão condicionados a:

  • Característica do lodo;
  • Poder calorífico;
  • Percentual de umidade do lodo;
  • Quantidade Vapor disponível.

O processo de secagem consiste no recebimento do lodo desidratado que é acondicionado em moega, através de uma rosca transportador o lodo é transferido da moega para o secador, onde ocorre a troca térmica e a evaporação da água, o lodo seco é descarregado através de rosca transportadora de saída e pode ser armazenado em bags, caçamba ou pode silos.

  • O secador Rotatubos efetua a secagem através de troca térmica de contato indireto, utilizando como fluido vapor.  O vapor circula através do eixo rotativo com grande área de troca térmica e no corpo do mesmo.

O lodo seco pode ser utilizado como fonte de energia (misturador ao cavaco para alimentação de caldeiras) ou como adubo orgânico de acordo com as características.

 

 

Voltar